domingo, 1 de março de 2009

ESCUTISMO EM NOVA FREIXO

Mal cheguei à Vila de Nova Freixo, a primeira coisa que me apercebi foi não terem os jovens locais estruturas onde pudessem colocar o seu imaginário a render, soltar a sua criatividade ou viver em ambiente de partilha solidária, de modo fraterno, as fases da sua afirmação na sociedade em que estavam inseridos e de que seriam lídimos continuadores num futuro mais ou menos próximo.
De forma instintiva, logo me lembrei de que o Escutismo poderia ser uma das soluções para resolver tal falha, porque me lembrei do que representou para o Negage, quando estive em Angola, o ter sido criado um Agrupamento de Escutas do CNE, pois deu aos jovens angolanos uma possibilidade de viver segundo o espírito de Lord Baden-Powell, o Fundador do Escutismo.
Fui apresentar cumprimentos ao Pároco de Nova Freixo, Revmº. Pe. João Monteiro da Felícia, Missionário da Consolata que ali estava a exercer o seu múnus sacerdotal. A certa altura, entre um café e dois biscoitos, diz-me que está pensar fundar um Agrupamento de Escuteiros, só não o tendo feito ainda porque não tem ninguém para o ajudar na tarefa. Dei uma gargalhada e disse-lhe aquilo que tinha pensado, quando me dirigia para a residência paroquial: havia falta de uma actividade capaz de entusiasmar os jovens locais e essa poderia ser o Escutismo.
Como era Escuteiro do CNE há cerca de 25 anos, com agrado ajudaria na tarefa a que prentendia deitar mãos.
Agradeceu-me... e desde logo procurei encontrar os colaboradores necessários para formar a Equipa Dirigente. No Aeródromo Base 6 convidei o 1º. Cabo Domingues Henriques, Caminheiro do Clã do Agrupamento dos Olivais - Lisboa, para chefiar o Grupo. O Pe. João poderia ser o Assistente ou o Chefe do Agrupamento,tal como o Pe. Herculano, Reitor da Missão da Consolata em Nova Freixo. Convidou-se também uma jovem Catequista local, a Maria Goretti Vasconcelos, para chefiar a Alcateia, o 2º. Sargento Alves, para chefiar o Clã e o Furriel (Ex) Pedro Ribeiro para Secretário do Agrupamento.
Realizou-se então uma conferência na Sala de Espectáculos do Desportivo, onde foi explicado aos pais aquilo que se pretendia implementar na Vila, que finalidades se pretendiam atingir, o que era o Escutismo e quais os regulamentos a que haveria de se obedecer.
Foram abertas as inscrições... e o êxito foi total! A afluência levou a que num ápice se constituam um Grupo Júnior com 4 Patrulhas de 7 elementos, um Grupo Sénior de 2 Patrulhas de 6 elementos cada e uma Alcateia com 5 Bandos de 6 elementos.
O pior foi ter-se uma comunidade Ismaelita muito grande e os jovens islâmicos, lógicamente, também pretenderem ser Escuteiros, acontecendo o mesmo com as raparigas católicas, para as quais não conseguia encontrar uma dirigente capaz de as poder integrar.
Pediu-se então à Junta Central que desse parecer sobre o que se deveria fazer... e a Chefia Nacional aconselhou que as raparigas fossem integradas em Patrulhas mistas, adoptando o método da co-educação, sistema que estava a ser implementado no CNE na Metrópole.
Quanto aos jovens da Comunidade Islâmica, que se constituissem Patrulhas normalmente... e se adaptasse a Lei, os Princípios e a Promessa à realidade da religião que professavam! Apenas era necessário estar-se atento e conseguir que a Comunidade acompanhasse os jovens no que respeita à religião.
Num próximo trabalho continuarei a explanar aquilo que foi a aventura do Escutismo em terras de Nova Freixo. E há muito para dizer, acreditem! Poderá afirmar-se que os Militares fizeram um trabalho altamente meritório no campo da educação da juventude. Presumo que possa ser essa uma das razões para que o Escutismo esteja a sobreviver na África de expressão Portuguesa, felizmente!

4 comentários:

  1. Gostava de saber quem foi o chefe que fundou o escutismo em Nova-Freixo se fosse possivel.Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. Gostava de saber quem foi o chefe dos Escuteiros a que se refere,caso seja possivel.Os meus agradecimentos.

    ResponderEliminar
  3. Eu posso responder, pois fui escuteira em Nova Freixo!
    Foi o "Chefe Elias"- Vitor Manuel Ferreira Elias
    Um chefe com muito valor, muita dedicação e trabalhador! Adorei ter sido escuteira em Nova Freixo! FR

    ResponderEliminar
  4. Eu tambem foi escuteiro em Nova Freixo, e continio a ser, agora na Fraternidade Nuno Alvares. Tive oportunidade de reencontrar o nosso Chefe Vitor Elias numa das nossas actividades.

    ResponderEliminar