sábado, 13 de junho de 2009

A RESERVA NATURAL DO NIASSA

- A Reserva do Niassa:
Esta Reserva possui uma área de 15 mil quilômetros quadrados e está localizada na Província do Niassa, nas margens do rio Rovuma. A Reserva parcial do Niassa foi famosa devido aos enormes efetivos de elefantes que possuía, considerada uma reminiscência do Jardim de Éden Africano...
Hábitat de uma grande diversidade de espécies de fauna tropical numa paisagem equilibrada, bravia... é um verdadeiro santuário de caça, que inclui muitas espécies clássicas tais como o leão, o leopardo, o elefante, o búfalo, e subespécies raras como o gnu-do-niassa (considerado endémico e por tal motivo sujeito a proteção), a zebra-boehms, o antílope-negro-africano e o cão-selvagem-africano – que está em perigo de extinção.
Também aqui existem girafas, podendo encontrar-se a subespécie girafa-do-Cabo!
O Governo Provincial, em cumprimento da Política Nacional, transformou toda esta herança natural e primitiva num destino eco-turístico, preservando todo um riquíssimo património natural completamente intacto, permitindo, deste modo, que o turismo se desenvolva de uma maneira sustentável, de um modo que permite ao homem, à fauna e à flora coabitarem em perfeita harmonia.
É uma das maiores reservas naturais do mundo – pensa-se que será a maior de Moçambique e talvez de toda a África Austral. A reserva é o hábitat da fauna e flora ainda por desvendar.
Nas extensas planícies da região do Miombo, situadas entre rios que se cruzam, erguem-se os majestosos Inselbergs. Alguns estão isolados como ilhas e outros próximos uns dos outros.
Ao longo dos rios vagueiam grandes manadas de caça, como faziam no tempo dos comerciantes de marfim...
Hoje esta reserva é o hábitat de uma crescente população de elefantes calculada em cerca de 12.000 cabeças. Esta abundância de animais permite a caça de troféus em zonas habitadas por búfalos na orla do parque.

Na reserva são permitidas apenas as máquinas fotográficas. É superiormente dirigida sob um rígido programa de conservação que inclui bastas iniciativas de desenvolvimento para as comunidades dentro do parque, ao mesmo tempo que vai promovendo o ecoturismo da vida selvagem.

A Reserva do Niassa é a última selva natural no mundo, de acordo com as primeiras experiências de Livingstone, quando abriu caminho através da selva com a sua caravana de carregadores e tendas, lutando contra búfalos e leões...
Essa nova rota está localizada numa área onde toda a superfície se encontra coberta de vegetação virgem e apresenta os menores índices populacionais de Moçambique.
Considerando a destruição massiva de animais nos anos da guerra civil, porque nos tempos coloniais apenas o comércio do marfim punha em risco os elefantes... ou então os safaris desenfreados que se faziam para Inglês pagar...ou Rodesiano...ou Sul-Africano ou fossem lá quem fossem, desde que tivessem dinheiro para gastar na aventura, a recuperação das Reservas naturais de Moçambique é um facto que deve encher de alegria todos aqueles que amam esta terra.

1 comentário:

  1. Juliana Sousa Moreira da Silvaquarta-feira, 30 dezembro, 2009

    Gostaria de vir a trabalhar numa reserva deste tipo, no ambito da protecçao e conservaçao de especies em vias de extinçao, o que posso fazer para tal? Procuram veterinarios, tratadores?

    ResponderEliminar