sexta-feira, 11 de março de 2011

Moçambique - saudade...

Não é todos os dias que se poderá ouvir falar em saudades de qualquer coisa sem que aconteça ficar o nosso rosto fechado, os olhos tristes e apeteça ouvir o Bonga a cantar aquele "TENHO UMA LÁGRIMA AO CANTO DO OLHO" que tão bem caracteriza aquilo que se convencionou chamar saudades de uma terra cujo solo sabemos não estar ao nosso alcance voltar a pisar, não que seja impossível o preço a gastar com a visita, mas por vicissitudes várias que nos levam a não pensar gastar um cêntimo com uma viagem que apenas seria mais uma ferida aberta no coração, após constactar não haver ali nada que recorde o país que foi Portugal, porque tudo se volatizou na voragem do tempo quando tudo o que "cheirava" a português... e branco, foi simplesmente votado ao ostracismo preconizado pela personalidade "forte" do "libertador" Samora Moisés Machel.
Quem passe pelo Xipamanine, por São José de Lhanguene ou por qualquer lugar onde existam famílias pobres, verifica que estas não têm o mínimo exigível para uma sobrevivência com dignidade... porque os gordos estão cada vez mais gordos e estão referenciados: - são todos membros da FRELIMO ou a ela ligados por laços que lhes permitem comer da mesma panela que a click governamental ou empresarial. Não há meio termo: - queres sobreviver? Junta-te ao Partido! Os outros têm os ossos para se entreter!
Sabia-se que um dia viria que a factura seria apresentada a pagamento. Não admira portanto que os chinezes estejam a reivindicar a exploração dos recursos mineiros de Moçambique, como sejam o ouro, diamantes, rubis, minérios de toda a espécie... porque nos bons tempos da luta forneceram armas e munições para a luta pela independência... e isso paga-se com juros!
Só que o Povo - sempre o Povo - continua à míngua de recursos, pois há que dar aos antigos homens de armas da FRELIMO o justo prémio pela luta realizada nas matas! Os outros terão o seu tempo para meter a mão no melado!
Quem manda ter nascido num território onde os recursos não englobam o petróleo? É que este já encheu os cofres de Angola e criou novos senhores do território muito mais depressa, pois a luta armada foi mais cedo e havia exploração de diamantes desde há muito, coisa que Moçambique não acompanhou no tempo. Conhecem-se as explorações de minas, rubis, turmalinas, esmeraldas, águas marinhas, ágatas, jaspes, opalas e outras, pois o país é fértil em riquezas do seu sub-solo... só que guardado estava o bocado e será a China a meter a mão no produto, pois amanhã será a Rússia a pedir que a dívida à antiga União Soviética seja liquidada.
Qual será a percentagem a receber pelo Povo? E pelos membros do Governo?
É tempo de aparecer outro Zeca Afonso que cante: - "ELES COMEM TUDO... ELES COMEM TUDO... ELES COMEM TUDO E NÃO DEIXAM NADA!"
Abram os olhos, Povo de Moçambique!

1 comentário:

  1. Ola.
    Obrigado pela partilha. Abraço desde Faro, Portugal. Nascido no Niassa.

    ResponderEliminar